Home  /  Perguntas

Absorvente Interno:

Não. A colocação do absorvente interno pela primeira vez requer um pouquinho de paciência e prática, mas isso não vai machucar ou causar dor. O absorvente interno fica no final do canal vaginal onde não há mais terminações sensitivas, por isso ele não incomoda ou dói. Ele está colocado no local correto justamente quando a usuária não sente o produto.
Não há o menor problema em dormir com o.b., desde que você respeite o tempo máximo de permanência do produto no seu corpo (8 horas). Para evitar um eventual vazamento, se o fluxo é muito intenso, troque o.b.® antes de se deitar e no dia seguinte, ao despertar. o.b. tem um tamanho para cada necessidade, dependendo da intensidade do seu fluxo menstrual: mini, médio e super. Escolha o seu e passe noites mais seguras e tranquilas.
O intervalo ideal para você trocar o.b.® é de três a quatro horas, naqueles dias em que o fluxo é mais intenso, e de até oito horas nos dias de menor fluxo Se você sentir algum desconforto ao retirar o.b.® ,é porque o absorvente ainda não está totalmente saturado. Neste caso, troque-o menos vezes. Conhecendo melhor o seu corpo e as vantagens de usar o.b.® você vai descobrir o seu intervalo ideal de troca.
Se respeitado o período máximo de troca e o tamanho do produto indicado para a quantidade de fluxo da mulher, não há esse risco.
Não há esse risco. O absorvente interno fica no fim do canal vaginal, mas a abertura do útero tem o tamanho da cabeça de um palito de fósforo.
Pode, sem problemas por um período de até 8 horas e por isso pode ser utilizado para dormir sem nenhum risco.
Pode, sem problemas por um período de até 8 horas e por isso pode ser utilizado para dormir sem nenhum risco.
Em relação ao texto-denúncia que circula pela Internet sobre absorventes internos, a Johnson & Johnson Indústria e Comércio Ltda esclarece que as informações contidas no texto não condizem com a verdade, pelos seguintes motivos: A Johnson & Johnson do Brasil assegura que os absorventes internos fabricados pela empresa (o.b.®) seguem padrões de qualidade internacional, tanto no Brasil como nos Estados Unidos e não utilizam cloro nem dioxina em sua composição, nem tampouco há adição de amianto(asbesto) em seus produtos. Reforçando ainda mais esta posição, ressaltamos a manifestação oficial sobre o assunto do Food & Drug Administration (FDA), órgão responsável pela avaliação e aprovação técnica de absorventes internos nos Estados Unidos, comprovando que esta denúncia não procede.
O produto pode ser utilizado por até 8 horas nos dias de menor fluxo menstrual. Nos dias em que o fluxo for mais intenso o ideal é fazer a troca mais freqüentemente.
Pode. A abertura himenal de uma jovem que ainda não manteve relações sexuais tem em média, 1,5 cm. Porém na puberdade, em função do aumento do hormônio estrogênio, a abertura vaginal se torna mais elástica, podendo chegar facilmente aos 2,5 cm. Os absorventes internos têm de 1,0 a 1,9 cm de diâmetro e por isso não danificam o hímen. Em caso de dúvidas, procure seu ginecologista.
O.B. é feito de fibras que atraem o fluxo para o centro do absorvente. Você não pode ver todo o fluxo que o.b. reteve, mas pode ter certeza de que ele foi totalmente absorvido.

Dúvidas Gerais:

São as chamadas Doenças Sexualmente Transmissíveis. As DST são causadas por vírus (verrugas genitais, herpes genital, hepatite B e a infecção pelo HIV), bactérias (gonorréia, clamídia, cancro mole e sífilis) e parasitas (escabiose, tricomoníase e piolho púbico). Se não tratadas rapidamente, as DST podem causar danos aos órgãos reprodutores levando à esterilidade, tanto em homens como em mulheres. Podem também criar predisposição para outras doenças.


Os implantes anticoncepcionais são usados desde a década de 1980 e os atuais que usamos são compostos de um só hormônio feminino, a Elcometrina ou a Gestrinona. O implante nada mais é que uma pílula moderna e melhorada.

São tubos de silástico de 3 cm por 1mm de diâmetro.
O hormônio micronizado é colocado e compactado na cápsula.

A aplicação dos implantes se faz na região glútea com ajuda de um aplicador em área previamente anestesiada com procaína a 5%.

A indicação do método é individualizado e/ou personificado baseada em dados clínicos:
- Peso e altura;
- IMC – Índice de massa corporal
- Fumante, ex-fumante
- Sedentária ou com atividade física.
- Hábitos alimentares.

São anticoncepcionais eficientes (não tivemos até hoje nenhuma gravidez pois são trocados no prazo estabelecido) e reversíveis (ou seja, a suspenção do método torna a mulher novamente fértil).

Além do efeitos anticoncepcionais são usados para tratar endometriose, TPM e suas complicações, cólicas menstruais, enxaqueca pré –menstrual, mioma, anemia e na prevenção do câncer ginecológico.

O efeito colateral negativo é a oleosidade da pele que pode acontecer em 20% das usuárias e os efeitos colaterais positivos são o aumento da libido, a definição da massa magra (músculo) e a diminuição da celulite.
São anticoncepcionais de dose menor que as pílulas de baixa dosagem pois não apresentam a passagem pelo fígado e essa é uma vantagem importante dos implantes.
Estabilizam o ciclo e suspendem o sangramento menstrual.
Por esse mesmo método fazemos a reposição hormonal em mulheres na pré ou pós menopausa.

Os hormônios que usamos são o Estradiol e a Testosterona.

Os efeitos são inúmeros , porém, deve ser indicado pelo médico e também personificado.
Atualmente a reposição hormonal mais usada é a de baixa dose.

Medo de perder a virgindade, do produto se perder no corpo, de doer, de vazar. Os mitos e tabus em relação aos absorventes internos são muitos e provocam dúvidas nas mulheres. E as dúvidas trazem o medo que limita a
utilização de uma opção mais discreta e higiênica para a proteção durante o período menstrual.

A vida da mulher não pára durante o período menstrual. E neste período em especial, ela precisa de segurança e discrição, além de higiene e conforto para que sua liberdade seja preservada. Benefícios como não sentir o
absorvente, não precisar limitar o uso das roupas mais justas durante o período tornam essa semana do mês mais próxima do que são todos os outros dias. O absorvente interno pode garantir segurança, bem-estar e higiene ao mesmo tempo.
As DST mais comuns são gonorréia, clamídia, tricomoníase, sífilis, condiloma acuminado (verruga genital), cancro mole, herpes genital, hepatite B e infecção por HIV. A maioria delas tem cura, com exceção das causadas por vírus.